Prefeito Odelmo Leão retoma ações do programa Mãe Uberlândia

“Sempre tive um compromisso com o povo de Uberlândia e aqui está a resposta. Estamos retomando com o Programa Mãe Uberlândia. Fico feliz ao olhar nos olhos de cada um e ver a alegria que está aí. Meus parabéns a todas as mães. Que Deus abençoe cada um de vocês e suas famílias.” Odelmo Leão

Oferecer um cuidado diferenciado às gestantes e aos pequenos sempre foi uma das principais preocupações do prefeito Odelmo Leão. Por isso, a atenção contínua – disponibilizada do pré-natal ao nascimento, com acompanhamento em todas as outras fases da vida do cidadão – ganhou reforço. A partir do mês de maio, a Prefeitura Municipal retomará as ações do Mãe Uberlândia, programa que leva mais informações sobre gravidez e planejamento familiar à comunidade, com foco no atendimento humanizado, diminuição da mortalidade infantil e dos partos prematuros.

 

A cerimônia que marcou o retorno da iniciativa foi realizada na manhã deste sábado (12) no Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro (HMMDOLC) e contou com a presença dos mais novos uberlandenses, de mamães, gestantes, familiares, profissionais da saúde e de autoridades.

O prefeito Odelmo Leão, responsável pela criação do programa, lembrou com carinho dos resultados positivos que trouxe à população. “Criamos o Mãe Uberlândia em 2008 e percebemos que ele cumpria seu propósito, que é cuidar de quem mais precisa. Prova disso é que em quatro anos, fizemos 41 mil atendimentos e acompanhamos gestantes do início ao fim da gestação, realizando consultas e exames com muito carinho. Tenho um compromisso com a cidade e o povo merece esse cuidado. Por isso quisemos retomar as ações, em respeito a quem vive aqui”, apontou.

A atenção permanente transformou a realidade de muitas famílias e fez com que a cidade reduzisse o Coeficiente de Mortalidade Infantil (CMI). Se em 2007 o índice era de 12,3, em 2012 a cidade contabilizava 8,5 – número abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Com a descontinuidade do programa em 2013, a taxa voltou a crescer, alcançando índice de 10,9 em 2016. “Uma realidade totalmente diferente da que tínhamos na segunda gestão do prefeito. O indicador é importante e reflete em um nascimento com melhor condição, com um pré-natal mais adequado e orientações de como proceder nos primeiros dias de vida. Atualmente o índice está em 9,03 e temos certeza que o programa, aliado ao acompanhamento em rede de uma equipe capacitada trará resultados expressivos.”, explicou Gladstone Rodrigues, secretário municipal de Saúde.

Muito além do consultório

 O Mãe Uberlândia amplia o cuidado e preconiza o acompanhamento de 100% das gestantes da área de abrangência que utilizam os serviços da rede pública. Na prática, a iniciativa dá prosseguimento às consultas (tanto no pré-natal quanto no pós-parto) e não se resume ao atendimento em consultório. Além das orientações médicas, as novas mamães participam atividades diversas e descobrem a importância da atenção no período da puericultura, da vacinação e da realização de testes fundamentais nos primeiros dias de vida (pezinho e ouvidinho, por exemplo).

E assim como há 10 anos, as mães que participarem do programa receberão uma bolsa com o enxoval para o bebê. O kit contempla cobertor, toalha e roupinhas, além de itens de higiene, como sabonete. O conjunto de todas essas ações propicia uma integração e o uso sistematizado dos serviços que compõem a rede de atenção à mãe/bebê e a vigilância em saúde.

Especialistas garantem que o pré-natal é fundamental em termos de prevenção de enfermidades. Esse acompanhamento detalhado permite um desenvolvimento saudável e reduz riscos, além de permitir um maior contato com a unidade de referência, equipe médica e outras mulheres para uma troca de experiência. Com a retomada do programa, a atenção às gestantes será ampliada.

Todos estes cuidados, segundo a coordenadora das Redes Temáticas de Atenção à Saúde, Ione Aparecida da Silva, são importantes para uma gestação saudável. “O programa mostra, em linhas gerais, a nossa preocupação com a mãe e o bebê. Com as consultas, os incentivos, os exames e todo acolhimento, conseguimos uma gestante mais consciente, preparada, tranquila e informada sobre todas as etapas e cuidados necessários, que valem para toda a vida da criança”, finalizou.                                                                                                          

 

O kit será repassado a toda gestante a partir da 30ª semana de gestação, que, necessariamente, tenha participado de pelo menos sete consultas de pré-natal e no mínimo de três oficinas sobre a importância do pré-natal, parto e puerpério (período pós-parto). A entrega será feira na Unidade de Saúde referência da gestante. Além disso, a gestante precisa realizar as sorologias contempladas no Protocolo de Saúde da Mulher e, concluído o tratamento de sífilis, quando for o caso, juntamente com o tratamento do parceiro.

 

Fonte: Secom